Conjuntura - 27/01/2014 14h16

Bibliotecas serão obrigatórias até 2020
Prefeitura e Estado garantiram que estão cumprindo a obrigatoriedade

Bibliotecas serão obrigatórias até 2020
Foto: Amanda Vieira/JP

Até 2020 o Brasil precisa construir 130 mil bibliotecas para cumprir a lei 12.244, que exige um acervo de pelo menos um livro por aluno em cada instituição de ensino, tanto de redes públicas como privadas. Em Piracicaba, tanto a prefeitura quanto o Estado garantiram já estar cumprindo a obrigatoriedade. Na rede municipal há disponibilidade de três livros por aluno. Nas escolas estaduais há uma média de 3,9 livros para cada aluno piracicabano. No entanto, o acervo forma salas de leitura e não bibliotecas.

 

A Secretaria Municipal de Educação informou que as 44 escolas de ensino fundamental têm salas de leitura que funcionam durante o período regular da unidade e os alunos podem consultála no horário contrário das aulas, além da programação com os professores. E as novas escolas já são projetadas para ter esse espaço. 

 

Já as 78 escolas de educação infantil, que atendem crianças de 0 a 5 anos de idade, possuem espaços destinados à leitura onde os livros ficam junto com os brinquedos. “A prefeitura, adiantando- se ao processo previsto pela lei e com a preocupação da qualidade educacional, tem salas de leitura em todas as suas unidades, que vem funcionando seguramente, de forma a garantir às crianças acesso a consultas, pesquisas, literatura, estudos e retirada de livros”, informou através de nota. 

 

Quem aproveita o acervo escolar são as estudantes Yasmyn De Gaspari, 11, e Giovana Bertozzi, 11. Alunas da Escola Municipal Mário Chorilli, as meninas são leitoras de carteirinha. Yasmyn garante que lê todo dia em casa depois da escola. “Ler é muito bom, ajuda no nosso aprendizado”, comentou. 

 

Giovana não fica atrás. Consegue ler até cinco livros em um mês. “Se forem grossos leio uns dois”, disse. “Gosto de ler porque posso ir a vários lugares sem sair do lugar. E gosto de aventura e terror”, entregou, dizendo que não tem muito interesse por gibis. “Acho os livros mais interessantes”. 

 

“Toda semana os alunos vão com o professor para retirar livros justamente para criar o hábito da leitura”, informou a diretora da EM Mário Corilli, Cristiane Regina Moretti Crocomo, explicando que os estudantes não podem acessar o acervo sem um professor ou orientador junto.

Reportagem: Patricia Vieitez